Dúvidas e Curiosidades sobre os pisos Vinílicos

Dúvidas e curiosidades sobre os pisos Vinílicos

 

O piso Vinílico chegou com tudo no mercado, é uma das grandes novidades quando o assunto é revestimento de qualidade e durabilidade.  Fácil limpeza, Sustentável,  rápida instalação, resistente a cupim, conforto térmico e acústico e resistente a água. Uma ótima opção para quem deseja praticidade, rapidez e beleza.

 

Do que é feito os revestimentos vínilicos?

 

O vinílico é produzido com resina de vinil (pvc), quase sempre reciclada, sua superfície é texturizada e estampada, de modo a imitar outros acabamentos.

 

Ele já vêm com tratamento?

Sim. O revestimento vinílico sai de fábrica protegido por resina de poliuretano dos tipos pur ou pu – a segunda exige a aplicação de cera durante o processo de instalação do piso

Quais são suas qualidades? E os pontos fracos?

A principal vantagem está na instalação fácil, rápida e limpa. A absorção acústica evita o famoso toque-toque, por serem térmicos, se adaptam a temperatura, ficando agradável no calor e no inverno. Além disso, não empenam nem dilatam. A desvantagem é que, justamente por serem flexíveis, exigem uma base muito bem preparada, pois qualquer imperfeição pode marcar no piso instalado.

 

O que deve ser considerado antes da instalação?

O contrapiso precisa estar firme, seco, nivelado, com baixa porosidade e liso (em termos técnicos, desempenado). Um instalador experiente é capaz de avaliar as condições da base e indicar uma eventual correção. Antes do revestimento, aplica-se uma massa niveladora feita de uma mistura de cimento e cola PVA, a qual prepara a superfície para receber o adesivo.

 

Esses pisos podem ir sobre outros?

Sim, e mais facilmente sobre cerâmicas e porcelanatos – basta passar primeiro a massa niveladora, a fim de que as imperfeições e juntas da superfície não apareçam no revestimento flexível. No caso de uma base de cimento queimado, muito lisa, a etapa inicial do serviço é provocar sulcos no chão (a chamada ancoragem), seguida da aplicação de massa niveladora e, depois, do novo piso. No entanto, se o original for de madeira ou de laminado, ambos têm de ser retirados, já que, sendo naturais, podem apodrecer e comprometer o acabamento. O vinílico é, então, colado no contrapiso existente, que deve ter sido tratado para receber esses materiais.

marketing da Forbo Flooring, esclarecendo que as emendas entre as mantas exigem equipamento profissional. Já as placas e réguas podem ser colocadas pelo morador, mas lembre-se: apenas pessoas treinadas conseguem identificar os problemas da base, o que determina o resultado final.

 

Posso usá-los em cozinhas e banheiros?

Somente se escolher linhas de vinílicos e de adesivos específicos para essa finalidade – já fornecidas por grandes fabricantes, como Eucafloor, Formica, Pertech e Tarkett Fademac –, pois em ambientes molhados os revestimentos vinílicos comuns  costumam descolar, manchar e apresentar bolhas por causa da água que se infiltra em ralos e cantos.

 

Que tipo de rodapé devo colocar?

Opte por modelos de madeira, MDF e poliestireno expandido. Se o piso tiver visual amadeirado, evite um segundo padrão de madeira, preferindo um rodapé branco.

 

Os pisos flexíveis dão certo em paredes?

Sim, mas vale o mesmo cuidado quanto à inexistência de imperfeições na base, a suérficie não pode estar pintada, para que não haja reação química e causar o descolamento do material. Um opção é aplica-lo em um painel de madeira e fixa-lo na parede.

 

Os pisos flexíveis riscam?

“Sim, caso a abrasão seja muito grande, como a produzida por móveis e eletrodomésticos quando arrastados sem que seus pés estejam protegidos por feltro”, aponta Bianca Tognollo, da Tarkett Fademac. “Se o piso riscar, uma possibilidade é trocar a régua ou a placa danificada”, explica Flavia. Por isso, compre o material calculando uma sobra, o que previne problemas com variações de cor e desenho. No caso das mantas, é mais complicado, pois haverá emendas.

 

Como é a manutenção?

A camada de poliuretano dos revestimentos vinílicos não permite a impregnação de manchas. No dia a dia, uma vassoura de pelo ou um rodo com pano levemente umedecido são suficientes para limpar ambos os materiais. Para a faxina mais profunda, use detergente neutro. Se quiser dar mais brilho ao chão, você pode aplicar cera.

 

 

Fontes: Casa Abril / Durafllor / Fademac /